quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Pára-queda, sem parar*

Se jogar do alto dos sentimentos abissais,
sem asas:
nem pássaro nem anjo.
*
Uma necessidade;
não covardia. NÃO.
Uma última tentativa de sobreviver,
de se ejetar do que te sufoca,
do que pode te levar para um fim prematuro.
*
Quando se parte rumo ao desconhecido,
é recomendado mapas e bússolas.
E se for um abismo profundo, é necessário ainda um pára-quedas.
Que não PÁRA, não evita e nem previne,
mas que ameniza tua queda.
Faz com que chegue ao seu destino
ainda consciente.
ainda VIVO.
*
*
E quando não se tem NADA disso?
Nenhum aparato.
Deve conter-se do pulo para evitar um possível FIM?


SOBRE_viver sempre.
SUB_viver jamais.


por: Dayane Moura*

6 comentários:

  1. e quanto a simplesmente _viver?

    ResponderExcluir
  2. eu levei um susto quando vi teu blog, ele tá mais liiiindo ainda.

    ;*

    ResponderExcluir
  3. Você tem umas tiradas geniais, Flor,
    eu adorei
    SOBRE_VIVER SEMPRE
    SUB_VIVER JAMAIS

    É isso aí, né?
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. hello... hapi blogging... have a nice day! just visiting here....

    ResponderExcluir
  5. SOBRE_viver sempre.
    SUB_viver jamais.

    Olha você me surpreende cada vez mais.

    Bjo!

    ResponderExcluir
  6. Linda mensagem!
    Também tenho um blog, já sou seguidor do seu, se puder também siga o meu, ficarei demais agradecido.
    Espero você por lá, beijinhos =*
    Aqui está o link do meu: http://palavrasdegrandevalor.blogspot.com/

    ResponderExcluir